Forever Tibet

Bem amigos da rede Globo,

Vamos direto ao assunto: o Tibet morreu…não tô falando geopoliticamente não…tô falando para aqueles que conheceram o nosso gato. Ontem a Inês me ligou e avisou que ele estava morto na garagem, a Cris nem conseguia falar no telefone. Fui para casa…triste.

Eu passei mais de 30 anos da minha vida dizendo que não gostava de gato e realmente não conhecia. Cachorro eu tinha bastante contato, mas nunca tinha nem prestado atenção, afinal eles são traiçoeiros, interesseiros, gostam da casa e não do dono e toda essa balela que as pessoas repetem sem entender o que falam…até que, em algo ao redor de Abril de 2003, a Cris chegou com uma gatinha em casa…feia demais…sem nenhum padrão de cor (ela é tricolor) , meio arredia e cheia de vontades. A gente combinou que se em 2 semanas a gente não estivesse confortável iríamos devolver a gata para a Goretti…mas o tempo passou e foi bacana brincar com a gata…decidimois ficar com ela…mas eu ainda não estava convencido desta estória de gato (ainda mais que a Blazê dava umas arranhadas e mordidas em todo mundo que vinha em casa). Aí veio o primeiro cio…a gata sumiu por uns 4 dias e noites e quando voltou depois de pouco tempo aprendemos que ela estava grávida…hehehe

Passados 3 meses numa noite de sexta-feira chuvosa de outubro a Blazê veio até a porta do quarto e miava para nos chamar… Acordei e era umas 2 da madrugada e fui para a sala seguindo ela, ela pulou dentro de uma das caixas de papelão recheadas de panos e começou o processo de parto…fiquei com ela até umas 4 e meia…e ajudei no que era possivel…fazia massagem na barriga, ela mordia minha mão e fazia uns barulhos esquisitos…neste tempo nasceram 2 gatinhos do tamanho do meu indicador. O primeiro era preto e branco e o nome que demos foi de Frajola e o segundo era cinza e ficou com o nome de Orelhinha, pois tinha a orelha e o focinho escuros. O terceiro que nasceu era branco e ficou sem nome…fui dormir e a Blazê lambia os filhotes e limpava a caixa…impecavelmente limpa,mas se via os traços de sangue de tudo que aconteceu. Fui dormir satsfeito por ser o mais novo parteiro de gato…e quando acordei tipo umas 10 da manhã…tínhamos mais 2 gatinhos brancos, igualzinhos ao terceiro…de zero gatos para 6…aí já era demais.

Mas ver os gatinhos crescerem de bolinhas de pêlo que não enxergavam para uma trupe de gatos curisosos, capazes dos mais impressionantes feitos em termos de escalada e enrascada foi um barato. Quem nunca teve esta experiência não tem como entender, mas o impacto em mim foi uma admiração muito grande pela natureza em geral e a desmistificação dos gatos. Primeiro que não existe isso de "os gatos são assim ou assado"…é uma generalização burra. Cada gatinho da ninhada tinha uma personalidade muito diferenciada desde que eram filhotinhos com dias de vida. Uns eram impetuosos e agressivos, outros eram carinhosos, outros gostavam de calor outros de frio…muito diferentes.

O Orelhinha foi o que mais me chamou a atenção, pois ele era muito querido, brigava com o Frajola (que era o dominante da turma) quando necessario e gostava muito de ficar com a gente. Ele também era bonito pois tinha o olho azul-acinzentado…resolvemos mudar o nome dele para Tibet, pois ele era um gato da paz…e também porque a gente gsotou do nome. E o Tibet em menos de 6 meses me fez ver que eu gosto de gatos (alguns) e conquistou todo mundo que veio em casa…era o preferido das crianças e do Otto, que chama ele de BéBé. Era um gato sem agressividade nenhuma, inteligente para se comunicar conosco, sempre entendíamos o que ele queria…conheceu dois países e nos acompanhou neste últimos 4 anos e alguns meses. Tenho certeza que já já está de volta na bolinha azul , desta vez com um hardware mais evoluído.

 

Blazê com Frajola, Tibet e um penetra que deve ser o Cal Tibet_de_guarda

This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

One Response to Forever Tibet

  1. Fernanda says:

    Que pena! Mas pelo menos você descobriu quanto os gatos são especiais!
    Eles são assim, meio rápidos…. passam voando na nossa vida. Principalmente os gatos que têm liberdade e fazem o que bem querem. Eu tava quase pegando um da vizinha, mas ainda não tô preparada.
    Beijos, apareçam quando vierem ao BR.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s