Trip Report – Rainier

Bem amigos da rede globo, esse post é mais descritivo do que pensativo :^)

Nós saímos umas 11:30 da noite de Bellevue em direção ao Rainier National Park, chegamos lá por volta das 2:00 da manhã e fizemos o check-in no Paradise-Inn, hotel mais proximo da trilha. Quarto de uns 10m2 e dormimos em 4 pessoas..resultado: teve um que dormiu com a cabeça dentro do closet e o resto do corpo para fora, hehehe.

Room for 4 at Paradise Inn by GaryRitchie. Final Preparations by GaryRitchie. Michael on Hike to Muir by GaryRitchie.

Acordamos as 7:30AM para tomar um café reforçado no Hotel e arrumar as coisas e ir na estação dos guarda parques para negociar os permits. Tem um permit individual que custa USD 30,00 e um outro para o grupo ficar no Camp Muir. Como não sabíamos como estaria o tempo, reservamos por 2 dias no Camp Muir.

Doug and Rick by GaryRitchie. Michael on Muir Snowfield by GaryRitchie.

10:30 AM estavamos prontos e umas 11:00AM começamos a trilha até o camp Muir (10.000 ft) . O tempo estava nublado onde estávamos, mas não estava frio não. Cerração forte, não conseguíamos ver nada de muito interessante do ambiente em volta da gente. Depois de umas 2 horas e meia de caminhada, cruzamos o nível das nuvens e o céu estava azul, mnaravilhoso. Fomos num ritmo relax, sem grandes velocidades. Me sentia bem, apesar da mochila estar um pouco mais pesada do que eu queria (ela sempre está). O grupo se dispersou, o Gary disparou na frente e eu fui no meu ritmo, o Rick e o Doug ficaram um pouco mais para trás. Cheguei 3:38PM no Camp Muir, o Gary já estava lá a uns 10 min. O Rick passou mal do estomago neste trecho e deve ter chegado ao Camp Muir umas 5:00PM, tomou antibiótico e tudo mais. Deu uma aliviada no meio do caminho e ficou melhor.

Open 

Chegando lá, pegamos uns lugares para dormir e já arrumamos tudo para começar a derreter neve. Afinal eu tinha bebido 2 litros de água e ainda estava com sede. Para o proximo trecho teríamos que estar bem hidratados (é muito fácil desidratar na montanha)…e teríamos que ter água para a comida desidratada (freeze-dried) que nos serviria de jantar. Eu calculei 15 litros de água para o nosso grupo seria suficiente… então meu trabalho foi manter os dois fogareiros bombando para derreter neve e purificar a água. Quando a panela em questão tem menos de 1 litro e meio…consumiu cerca de 2 horas e meia esta tarefa. Entrementes o Doug arrumou as cordas e todo mundo fez um recheck do que tínhamos que levar para o cume. 

6:30PM quase todos estavam deitados relaxados e eu e o Rick ainda fechando a cozinha. Comi a famosa Pasta primavera, mas foi pouco eu acho (470 cal)… e umas 19:30 fui deitar também. Botei os plugues no ouvido para não ouvir os roncos dos outros e aquela máscara de avião contra luminosidade para tentar dormir…e quem disse que eu conseguia? Fiquei pensando as mais diversas coisas e relaxando. Meditei um pouco, fiz alongamento para as pernas, mas dormir que é bom necas…

Acho que consegui ficar uns 40 min inconsciente, mas se eu sei disso, não estava inconsciente, certo? Sei que 10:00 PM que era nosso despertar demorou para chegar….mas finalmente chegou. Colocamos o equipamento e umas 11:00 estávamos prontos…demorou pois alguns queriam tomar "café da manhã" as 10:30 da noite…fazia sentido, mas meu estomago já estava meio revirado.

11:20 já tinhamos começado a trilha, cruzamos o primeiro glaciar atrás do Camp Muir e fomos em direção das Pedras Gibraltar. Fzemos uma transição da neve para rocha, que mais parecia um mistura de areia com pedras, ruim de subir pois a cada passo que vc dava descia um pouquinho. O terreno vulcânico do Rainier é um campo de pedras soltas e extremamente instável. Por isso frio é bom (à noite é mais estável). Gerenciar a progressão nas pedras com cranpom é um capítulo à parte…

Depois de cerca de 1 hora de caminhada atingimos Ingraham Flats (11.000 ft), onde tem um outro acampamento. Sentamos e comemos um pouquinho. A lua (meia lua) já tinha nascido e estava bem acima do horizonte. O céu apinhado de estrelas. Comi algumas frutas secas e amêndoas…e seguimos viagem. O ritmo estava bom e entramos num complexo de rochas que se chama dispointment cleaver. Quando deu cerca de 2 horas e meia de caminhada paramos no meio do DC. A gente tava a uns 12.000 ft e eu começava a me sentir mal. A temperatura estava baixando e devia estar uns -5oC, tanto que minha água no tubo do camelback congelou e tive que tirar a água e colocar no Nalgene bottle.

Open Open

Ao redor dos 12.500 ft eu comecei a passar muito mal do estômago. Me sentia fraco e zonzo…como se eu tivesse comido comida estragada e estava intoxicado. Sentia meu corpo tremendo de febre, me sentia desidratado também. Tinha que parar a cada 50 metros…parava e não me recuperava, ficava pior, gerenciando a ânsia de vômito. Um passo depois do outro e foco total na respiração. Parei de olhar em volta, parei de tirar fotos e videos, foco 100% em fazer o corpo continuar.  Finalizamos a DC e tinha uma subida grande pela frente e ainda por cima cheia de crevassas.

Dawn on Emmons Glacier by GaryRitchie. Sunrise from Emmons Glacier by GaryRitchie.

O zigue-zague foi interminável e o terreno é lunar, nada lisinho…é um monte de facas de gelo dos lados, imagno que isso seja formado pelos ventos que atingem o topo com velocidades impressionantes.

Photo by Steve  Photo by Steve

Tivemos que cruzar algumas crevassas que precisavam de proteção, pois estavam bem instáveis. Estas crevassas são de outro planeta…elas são intimidadoras…ainda mais quando você está beeem zonzo. Daí depois de uma hora e meia a gente atingiu a borda da cratera. Sentamos e relaxamos um pouco. DO nosso lado tinha alguns buracos no gelo que são cavernas de onde sai um vapor quente…surreal, mas o Rainier é um vulcão ativo porém dormente.

Approaching Rainier Crater Rim by GaryRitchie. Mt. Adams and Tatoosh Range from Upper Emmons Glacier by GaryRitchie.

a crater do Rainier - Panorâmica

Cruzamos a cratera e subimos no cume, um lugar que se chama Columbia crest. Tirei algumas fotos e fiz a panorâmica acima, vocês tem uma bela visão que tínhamos. Fiquei muito emocionado de ter conseguido, mas estava um pouco nervoso sobre como faria para voltar…pois ainda estava me sentindo péssimo.

A volta eu continuo depois…

Namaskar!

MW

This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

One Response to Trip Report – Rainier

  1. Rodrigo says:

    Uma Baita conquista, Michael! Parabéns!
     
    Fiquei com muita vontade de correr pras Agulhas Negras no fim de semana que vem, mas temo que mesmo que consiga, não será nem metade da aventura e da beleza que você viu! Certamente, não havrá neve … e olha que é inverno por aqui…🙂
     
    Aliás, que aventura… Fiquei com medo por você com esse negócio de passar mal entre "facas de gelo" e crevasses…. Charaaacas!
     
    Show de bola. Próximo passo é Tibet?!
     
    Abraços,
     
    Rodrigo Munhoz
     

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s