Mount St Helens

Dia do trabalho na terra da labuta…não vou comentar a pobreza de feriados novamente, isso merece apenas um suspiro e um leve balanço de cabeça seguido de um palavrão à la Vania Otoboni.

Pedal de gente grande no domingão. Marcão não perde tempo e organizou um pedal verdadeiramente Épico. Foram 34 milhas e 5.600ft de variação vertical…e vistas fenomenais de um ecossistema que eu nunca tinha visto. O que sobra depois de uma explosão mais forte que várias bombas atômicas, gerando o maior mud slide registrado na humanidade?? Então…você podem ver nas fotos aí do lado. A explosão do Mt St Helens foi em 1980 e matou umas 58 pessoas..é algo meio esquecido por todos, mas o interessante é que uma galera que pedalou com a gente estava morando nas redondezas quando rolou o cataclisma. Um cara me falou que quando ele saiu do show do Grateful Dead o carro dele tinha  uma polegada de cinzas (em Portland)…outro colega que morava no Canada (BC) falou que choveu cionza na cidade dele…outro estava acampando no dia anterior em um vale a menos de 5 km de distância e viu os helicópteros checando a cratera antes da explosão. Se vocês quiserem saber mais sobre o vulcão, entra aqui: http://en.wikipedia.org/wiki/1980_eruption_of_Mount_St._Helens

Fomos no sabadão (saimos umas 17:00) e chegamos na parada umas 20:20…ainda a tempo de conversar com uns caras acampando num lugar que se chama Sno Park. O Marcão achou um fire pit e montamos a barraca do lado. Fizemos uma foguerinha fenomenal e fervemos agua para a janta. Rangamos e bora dormir…Marcão ficou noiado com as estórias de urso e foi dormir beeem mais tarde. Eu dormi ok, mas passei frio na cabeça e usei a balaclava…show. Acordamos 6 da matina e arrumamos tudo inclusive o café da manhã…

image

Começamos o pedal as 8:20h receosos sobre a galera. Alguns muito simpáticos, como o cara que o Marcão tinha conversado, o Dave, mas no geral a galera muito séria e sem grandes felicidades…mais detalhes sobre a trilha? Clica aqui.

5 milhas de asfalto e ficamos já para trás. Nego pedala hein? Rolou um regroup no trailhead onde todo mundo tirou os casacos e já deu um alongamento para começar a trilha. Fiz uns videos e tirei umas fotos…

E toca para cima…subida constante e não muito técnica. Não estava num bom dia pois logo de cara já comprei um terreninho para fazer uma curva na subida em um terreno meio arenoso…

No final da subida já não me sentia 100% e ia ficar feliz se eu conseguisse terminar a parada. Alguns caras meio que desistiram por falha mecânica na bike ou no dono da bike…eu não ia parar ali nem a pau juvenal. Filminho, fotos, falta de simpatia dos gringos…15 min já tava todo mundo tocando para cima. Esta foi a última vez que o grupo de uns 10 bikers se reuniu.

Cruzamos uns gullys e chegamos num planalto que se chama Abrahams Plains…venta nada não…e nada de chuva…que frio o que? Mãos crudando no freio e soca o pedal. Cruzamos com uns hikers que fizeram a maior festa para gente…não sei porquê. Depois de uns 10 min de planalto a presilha da sapatilha direita soltou o parafuso e eu nao conseguia clipar mais. Isso é ruim, pois como o pedal é pequeno, não dá muita segurança…e passamos umas laterais de montanha. Fiquei para trás…uns 15 min. Não queria rolar montanha abaixo. Já tinha comprado um outro terreno no tal do planalto e desta vez deixei um rastro do meu DNA para posteridade. Para variar machuquei a canela…o terreno é lunar, sem nenhuma árvore e um monte de troncos carbonizados. Sem vida aparente eu só consegui ver um casa de águias à distância.

Descemos umas escadas de madeira e cruzamos um ridge meio que exposto, mas muito lindo. Concentra na trilha Alemão!! Deixa para ver a paisagem qdo sair desta parte…é isso que ecoava na minha cabeça. Saimos num asfalto que se chama Windy Pass e vimos um pedaço do Spirit Lake. Aqui eu vi o mais impressionante da viagem…simplesmente metade do lago estava coberto de trocos de árvore que foram dizimados pela pequena tsunami que foi gerada pelo landslide da explosão…surreal. Todas as árvores que vimos tinham menos de 30 anos de vida…acho que pela primeira vez eu era mais velho que a floresta, hehehe.

Tentei consertar a sapata e ficou estranho…mas voltou a funcionar. Começamos o downhill que foi íngreme mas meio tricky. Muito arenoso e com plantas que atrapalham a visão. Foi meio que abrindo a trilha (bushwaking) e parando para ajudar o Jerry e a Andrea na manutenção da trilha. O resto do grupo nesta altura já devia ter acabado a parada. O Jerry me forneceu um parafuso da sapatilha que salvou…

Na descida mais terreno em liquidação e comprei mais uns 2. Desta vez um deles meu pé não desclipou a tempo e caí em cima da perna esquerda com a bicileta esmagando a minha coxa..e o problema é que se eu fizesse força com a perna para levantar criava uma alavanca e pressionava minha coxa contra uma pedra. Até eu enteder isso estraguei um belo pedaço do meu quadriceps. Doeu e ainda dói 3 dias depois…

Vimos umas cachoeiras animais e seguimos por um vale com um rio. Cruzamos o Rio e paramos para almoçar. A coxa estava incomodando bastante…mas o sanduíche-íche tava bom…nada como brie fedorento com pão italiano. Vc oferece e ninguem aceita :^)

Eu já estava me arrastando…e daí em diante foi uma subidinha (o inha fica por conta dos caras que fizeram em 3h e meia) interminável com um monte de árvores caídas. Ainda bem que não eram muito velhas e eu tinha um full suspension…se fosse fazer com uma 100% hard ia estar com o maxilar batendo na boca até agora. Marcão me deu a agua da garrafinha dele…não tive chance de usar o filtro.

Descidinha de asfalto de volta para o carro…chegamos. 8 horas e 3 minutos no total e 5 horas e 40 de pedal (bike em movimento). Arrumamos as coisas e uma hora depois já estavamos a caminho de Seattle. Paramos na Ape Cave.

Ah, antes de sair o nosso amigo Dave falou que tem um cara que fez 3 vezes o loop da trilha num dia, com uma bike 100% HARD E SINGLE SPEED. A vontade que deu foi de trucar o cabra, mas ele não ia saber chamar 6 para eu chamar 12 e talvez ele meter o ZAP na minha testa. Depois dos caras que fizeram o Rainier em 4:46min eu acredito em tudo. Aqui estão as fotos do Dave

No Domingão fomos convidados para um churrasco no parque do lado de casa…fiquei doente novamente. Meus pulmões não estão bons…estou tendo bronquite toda vez que faço exercício. Algo está errado, preciso investigar mais a fundo para não sofrer as consequências do descaso.

Namaskar!!!

MW

This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

3 Responses to Mount St Helens

  1. Maíra says:

    Show! Sou louca pra conhecer o Mt. St. Helens, mas nada de ir com barraca e andar de bike.🙂
    E vê se te cuida guri! Vai ver isso logo!
    Bjs.
     

  2. Unknown says:

    Hi,Do you have used lcd screens, lcd monitor used, surplus lcds and scrap LCDs? Please go here:www.sstar-hk.com(Southern Stars).We are constantly buying re-usable LCD panels.The re-usable panels go through strictly designed process of categorizing, checking, testing, repairing and refurbishing before they are re-used to make remanufactured LCD displays and TV sets.Due to our recent breakthrough in testing and repairing technology of LCD, we can improve the value for your LCD panels.
    website:www.sstar-hk.com[cjihafbjhacidcj]

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s