Pedal

Neste final de inverno e começo de pseudo-primavera a gente tem ido quase todos domingos de manhã pedalar com um pessoal de uma loja em Sammamish.

As trilhas são quase todas single-track e na maioria dos casos bastante técnicas se comparadas com as paradas que fazíamos no Brasil. Mais técnicas e menos físicas…

Com a bike nova eu já estou 100% adaptado e só tenho coisas boas para falar, Stumpjumper é o bicho. Com as trilhas daqui eu to mais para Stump-walker e Root-slider do que jumper. Simplesmente não desenvolvi a técnica suficiente para andar com o pessoal. Lanterninha todos os dias…mas 100% feliz. A gente pedala nuns lugares muito bacanas, as vezes mega frio com neve no chão, as vezes no meio da mata fechada, umas descidas doentias e as vezes um visual das montanhas que impressiona. Mas o que é interessante é que as trilhas são tão técnicas que o seu mundo acaba se reduzindo a 4 metros de trilha na sua frente e como vc vai passar…as vezes momentum é seu amigo e às vezes vc acaba no chão. Minha média de tombos deve ser uns 3 por trilha e agora tenho até material de proteção…ganhei algumas marcas na canela antes de admitir que eu precisava disso.

 

Aqui vai uma breve descrição dos caras que pedalam com a gente:

– Dono da biciletaria: um cara mais velho que pedala há mais de 30 anos nesta região. Ganha as bicicletas diretamente da fábrica e tem umas bikes de USD 8,000 de Carbono…e tem 8 bikes que ele usa e mais 200 na loja. Extremamente simpático e de fala mansa, eu nunca vi ele suar ou ficar cansado. Ele normalmente vai em primeiro ou segundo no pack e conhece TODAS as trilhas e dá as direções. NOrmalmente estabelece as pausas para esperar os novatos (tipo eu). Pedala em uma bike hard tail no outono / inverno só para melhorar as habilidades técnicas. O verão começa oficialmente quando ele muda de bike para full suspension. Se ele fala, você escuta…ele usa palavras do tipo: vc precisa dançar com a bike, esta suspensão é 34% mais rígida do que aquela, esta parte é um pouco técnica (significa que vc nao vai conseguir pedalar de maneira nenhuma..)

– Sasquach ou Chucro: sem habilidades sociais, o chucro tem como alma gêmea um cachorro que tem é muito assustado e que ele achou na rua (e que provavelmente foi muito mal-tratado antes). Eu ouvi a voz dele duas vezes. As vezes quando o grupo pára na frente de um obstáculo e desiste de seguir em frente, o Chucro vai…ele e seu cachorro. Ele anda no meio do grupo, mas normalmente sobe o que ninguém consegue subir. O motto dele é velocidade média e constante. Não usa palavras mas sim grunhidos para se comunicar e na maioria das vezes é com o seu fiel escudeiro. A especialidade dele é passar por cima de troncos que parecem impossíveis…aqui vai um video do filho do Chucro:

– Moleque-que-nasceu-de-pedal-nas-trilhas: eu nunca vi ele pedalar, porque sempre que eu estou chegando aos pontos de encontro ele já está de saco cheio e já começou a pedalar o próximo trecho. É como se fosse o dono-da-bicicletaria mas com 19 anos de idade. Ou seja no estacionamento comenta que estava numa festa até meia hora antes e vai pedalar sem dormir… Quando o carro dele chega no estacionamento, algumas pessoas ficam nervosas…magro e normalmente só participa de competições. Não entende porque as pessoas suam ou descem da bicicleta durante a trilha. Adora desafios do tipo, vc consegue subir aquilo? É o melhor amigo do filho do Chucro aí do vídeo.

– 10 Arroba: vc imagina como ele vai pedalar com a massa que tem… Não é exatamente gordo, mas muito forte, MUITO. Pesado, anda mais na parte de trás do grupo e tem tração em qualquer coisa.A Bike enverga as rodas viram elipses pedalando junto com ele vc vê o minucioso trabalho de engenharia que as empresas de bike fazem. No caso dele é uma Cannondale. Pedala há 15 anos e conhece bem as manhas das trilhas.

– Prego, ou Novato: Eu. Sempre fazendo perguntas aparentemente óbvias nas paradas de descanso, que na verdade não existem para mim, pois toda vez que eu chego, o grupo volta a pedalar. Esta sempre aprendendo uma dica nova, do tipo: precisa comprar material de proteção se vc é prego. Precisa ter o elo de corrente que coloca fácil, não trouxe roupa adequada? vai passar frio…Cai frequentemente e pelo fato de andar extremamente devagar é sempre em câmera lenta. Não passa rídiculo pois está tão para trás no grupo que ninguém vê ele caindo.

É isso aí. Pedal no Noroeste do Pacífico…uma experiencia e tanto. Às vezes me pego pensando no pedal do domingo já na quarta à noite…Valeu Marcão por criar essa rotina de domingo de manhã: Cafezão, Pedal, Sonzeira anos 80 carro, papos cabeça, sanduíche de camembert maturado e pumpernikel.

Namaskar!

MW

This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

2 Responses to Pedal

  1. Ivone beatriz says:

    e lindoo mas e malabarismo total …. interessante fazer a leitura de q vc escreve beijos mae ashomash vo

  2. Marcos says:

    Vc esqueceu da Mina que nao desiste nunca – ela tem umas 3 bikes animais, vem toda equipada com caneleira, cotoveleira e nao desiste nunca (sera que e brasileira – e nao desiste nunca?), enfim se ela nao conseguir passar algum obstaculo ou cai em uma subida ingrime ela volta e tenta de novo. Ele e gente fina, mas fala um pouco demais. Tb tentou me dar o golpe do rack – deixou agente usar um rack velho por uns 2 meses, ai quando falei que pagaria 50 mango ela pediu 150 – ta louco? Mas no geral ela e bem gente boa sim.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s