Gravidade

Alô amigos da rede Global,

Depois de 9 semanas de treinamento de escalada, estava realmente vendo uma melhoria na minha resistência e na força, eu conseguia escalar mais tempo e com movimentos mais técnicos…e no último treino meu corpo falhou. Mais precisamente o meu ombro e braço esquerdo…eu já vinha sentindo que havia algo de errado, mas achei que era fruto do treinamento e que tinha que atravessar o desconforto para conseguir melhorar, afinal escalar é superação de aparentes limites e dores. Não foi bem assim…

Senti uma fisgada primeiro no ombro e corrigi com o biceps, mas senti uma fisgada no biceps também. Tive que sair do boulder, que era fácinho e logo voltar para a parede para completar os 9 minutos de bouldering initerruptos…terminei mais na força de vontade e imaginei que descansando 9 minutos eu conseguiria seguir o treino. Não foi bem assim…

Já estou sem escalar há um mês e provavelmente todo o treino foi para as cucuias, voltei à estaca zero. Meu ombro ainda dói e aos poucos estou conseguindo fazer os exercicios necessarios para a recuperação. Primeiro recuperar a amplitude de movimentos, depois recuperar os músculos, tonicidade e um dia, talvez, a força.

A parte boa (e ruim) é que eu iria me encontrar com amigos do Brasil para uma atividade que usa a gravidade a seu favor…Downhill de bike em Whistler. Mas eu não sabia se o meu ombro, mesmo com toda a fisioterapia estaria no ponto de conseguir acompanhá-los…

Decidi ir encontrá-los em Vancouver viajando de trem. E foi muito interessante, o trem passa por lugares muito diferentes dos carros. Do trem você passa no quintal das pessoas, onde elas escondem as coisas que não querem deixar na frente da casa, é como se elas esquecem que além de trem de cargas, existem trem de passageiros, então a viagem de trem é significamente mais “real” que paisagens de carro. O ritmo dos balanços, barulhos esquisitos e buzinas constantes fazem a viagem ser única.

Chegando em Vancouver, a imigração foi sossegada e saindo da estação ferroviária fui dar um rolê com a bike na região para esperar a galera vir me buscar. É uma região com uns moradores de rua e até tinha algumas seringas descartáveis no chão da festa que deve ter rolado no parque na noite anterior.

Almoçamos em um restaurante China e seguimos viagem na Barca novíssima alugada…tinha 14km, 3 quartos, storage space e churrasqueira na varanda, é isso mesmo, a barca tinha varanda, móvel…chegamos em Whistler tipo 2 horas depois e averiguamos a casa que alugamos. Bem bacana a casa…tinha 4 quartos para 5 pessoas e tinha uma vista fantástica para Blackcomb…ali aprendi tudo sobre UFC e sobre os campeonatos mundiais de poker e tranca…um moleque russo ganhou Y milhões de dólares.

Também aprendi que se vc é chefe, não existe férias, que não se deve ser muito ousado no primeiro e nem no último round de downhill, que Ursos precisam de 20 mil calorias por dia antes de hibernar e passam 22 horas comendo. Aprendi a não contratar serviços do guia que fala a sua língua e sim procurar o melhor na internet ANTES, cada milimetro de suspensão ajuda na descida, que nem sempre peso é ruim …ir mais rápido faz com seja mais fluido e a gente precisa frear com um dedo e não dois. Aprendi que às vezes o mais competente não está num dia bom, e que tudo pode ser produtizado. Até as montanhas…infelizmente.

No final foi muito legal conversar com o Marcão, Edu, Limba e Jonny, Sto João, como diz a Cris. Um grupo que se auto-intitula Wild Hogs

Vídeos aqui.

Namaskar!

This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s