A long time in the future…

Alô amigos da rede global,

Pelo que vejo aqui o meu mais recente blog foi em janeiros de 2015…muita água passou embaixo da ponte desde então. Difícil até achar por onde começar…mas assim é a vida. Neste ano que passou as crianças cresceram…

…muito…

…rápido.

A Anna finalmente começou a esquiar com a gente e este ano fez as 6 aulas dela. Já desce quase qualquer coisa do jeitinho dela. E o Otto já está esquiando paralelo e descendo as pretas de Snoqualmie comigo. É uma delicia ir com eles para montanha…a gente vai escutando música no carro (normalmente o Otto quer 2Cellos e a Anna quer Eurythmics ou Bruce Springsteen)…eles tem aula das 9:30 as 11:45, comemos juntos e esquiamos a tarde inteira, normalmente indo para o East Summit onde adoramos descer o back-side e também a Hyak face. O ponto alto do dia é o barulho do ronco no carro quando voltamos para casa, algumas vezes já escuro…ronco profundo de criança que usou tudo o que tinha :^). A neve foi boa este ano…ao contrário do ano passado que foi muito ruim…

Bom, agora que já fiz uma introdução de nossa diversão desde Janeiro, vamos ao lado sério deste post. Em junho de 2015 a Cris fez o exame dela de rotina e foi identificada uma massa a ser estudada na mama esquerdo. E naquela semana começou…

Conversa na mesa de fora no jardim , onde conversamos com a medica que analisa os resultados. Daquela mesa sentamos e colocamos um plano no papel, eu a Cris e a Silvia. O plano definia como iríamos ajudar a Cris a colocar e tirar o cancer na equação da vida. Depois de muitos medicos e muita ajuda recebida de todos os lugares  (se vc está lendo este post, obrigado!), uma mastectomia, 6 sessões de quimioterapia, mudança de dieta e momentos na montanha-russa, estamos começando a trazer a normalidade de volta. Mas o fato é que a normalidade mudou, não é mais o mesmo normal de antes, só muda uma coisa quando você ou alguém muito próximo tem cancer: tudo.

Mas esta experiência é algo que requer um post maior, talvez…dificil colocar em palavras a intensidade de tudo o que acontece. Ontem a Cris perguntou para mim qual é a minha visão sobre tudo o que ela passou…e para mim estava claro minha visão, mas ela não sabia e, pensando bem, nem eu. Não processei ainda…simplesmente tentei focar naquilo que estava na nossa frente: mudança de dieta, bum, suco verde de manhã, bum, achar medico, bum, ver o plano de saúde, bum, achar um cirurgião, bum, ler 20 livros sobre o assunto, bum, saber quais sao as últimas novidades de tratamento de cancer de mama, bum, radioterapia versus quimioterapia, bum, Otto com medo, bum, Anna com eczemas quase no corpo inteiro, bum, trabalho, bum, trabalho, bum trabalho, bum,bum, bum (final carnavalesco esse hein?)

O caráter finito da nosso experiência e de todos ao nosso redor…todos sabemos disso mas de alguma forma ignoramos totalmente. A verdade é que o nosso “programa” ignora isso…e a doença introduz a mortalidade, ou a realidade da mortalidade, para todos nós. Esta reflexão por mais dolorosa que seja, é importante para o entendimento da nossa condição, da nossa realidade. E isso, só isso muda tudo…por que muda o olho através do qual interpretamos a realidade externa e interna. Impermanência é como os budistas chamam isso, mas uma coisa é ler e pensar a respeito e outra coisa é sentir…e outra coisa é operar com isso dentro do sistema, na condição impermanente e transitória de realidade.

Fui claro? …sei que não  . E não tem como explicar…ao menos para mim. Se você nunca pensou…nem perca tempo, pois não tem volta e quando chegar na hora…você vai entender o que eu estou falando.

Para finalizar o post esporádico, deixo 3 fotos do ano passado, duas de um dos poucos hikes que fiz com direito a camping…Robyn Lakes, junto com o Érico (as fotos são crédito para ele). E uma com a Anna na academia, fazendo barras…ela agora faz 3 barras e escala comigo quase todas as vezes…sábado passado, escaquetou que queria fazer escalada em fendas e foi lá e fez…

 

Até a próxima…

 

 

This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

One Response to A long time in the future…

  1. Ferapacci says:

    Estamos com a mente sempre em vocês. Hoje torcendo pra recuperação física da Cris. Seu texto é superclaro, mesmo onde acha que se embananou. Você mesmo sempre dizia que só existe uma certeza na vida. E como a gente reage contra essa verdade; física e emocionalmente.
    De todo coração, uma ano muito melhor pra vocês; que a Ana faça muitos push ups pra me deixar de boca aberta, e que vocês mantenham a harmonia. Beijos

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s